Criar uma Loja Virtual Grátis
  • Currently 2.51/5

Rating: 2.5/5 (480 votos)




ONLINE
1





Partilhe esta Página


Campinas (19)4062-9633
Campinas (19)4062-9633


Ouvir mensagens e ver preços -pagamentos




 


Serviços de telemensagens,disk mensagens,mensagens fonadas, telemensagem, mensagens online, mensagem online,mensagens virtuais mensagens virtuais, disque mensagens, tele mensagem, telemensagens fonadas, telemensagens online, telemensagem online,agência de telemensagens,agência de telemensagem, tele mensagens, recado fonado, mensagens por telefone,telemensagens por telefone,telemensagem por telefone,telemensagem fonada,serviço de telemensagem,serviço de telemensagens,telemensagens de amor,telemensagem de amor, mensagens românticas, mensagens de aniversário, mensagens de amor, mensagens evangélicas,mensagens gospel,telemensagem gospel,telemensagens gospel,telemensagens evangélicas,telemensagem evangélicas,agência de telemensagem,agência de telemensagens, aniversário de anjos, aniversário de 15 anos, aniversário de adolescentes, aniversário de afilhados, aniversário de amizade, aniversário atrasado, aniversário de avós, aniversário de casamento, aniversário católico, aniversário de cliente, aniversário de criança, aniversários evangélicos, aniversário de ex ,aniversário de filha, aniversário de filho, aniversário de genro e nora, aniversário de gozação, aniversário de irmã e irmão, aniversário de mãe e pai, aniversário de namoro, aniversário de neto e neta, aniversário de padrinho e madrinha, aniversário de paquera, aniversário de prima e primo, aniversário romântico, aniversário sobrinha e sobrinho, aniversário de cliente, aniversário de sogro e sogra, aniversário de tio e tia, amor não correspondido, bom dia, boa noite, boa tarde, declaração romântica, desculpas, reconciliação, fim de namoro, magoado, inicio de namoro, paquera, conquistas, saudade romântica, romântica evangélica, aniversário de marido, aniversário de esposa, aniversário de namorada, aniversário de namorado, agradecimentos, gratidão, amizade, boa sorte, despedida, boa viagem, boas vindas, desculpas, formatura, vitórias, gravidez, maternidade, otimismo, otimismo para doente, condolências, pêsames, noivado, parabéns pelo casamento, parabéns pelo noivado, dia dos pais, dia dos namorados, dia das mães, dia da secretária, dia da sogra, dia da avó, dia da amizade, dia das crianças, dia do professor, natal, páscoa, dia internacional da mulher, homenagem profissional,ouvir telemensagens,ouvir telemensagem,site de telemensagem,site de telemensagens,telemensagens fonadas,telemensagens online,telemensagens de reconciliação, telemensagem de reconciliação,telemenagem de perdão,telemensagens de perdão,telemensagem de desculpas,telemensagens de desculpas,telemensagens de saudades,telemensagem de saudade,telemensagens de amizade,telemensagem de amizade,telemensagens de conquista,telemensagem de conquaista,telemensagens de paquera,telemensagem de paquera,telemensagens de aniversário de namoro,telemensagem de aniversário de namoro,ouvir ,solicitar,pedir,net,internet,como enviar telemensagens pela internet,como enviar telemensagem pela internet,como pedir telemensagem pela internet,como pedir telemensagens pela internet,ouvir telemensagens,ouvir telemensagem,escutar telemensagem,escutar telemensagens,ouvir telemensagens de natal,ouvir telemensagem de natal,escutar telemensagens de natal,escutar telemensagenm de natal,pedir telemensagens de natal,pedir telemensagem de natal,solicitar telemesagens de natal,solicitar telemensagens de natal e ano novo,ouvir telemesagens online,ouvir telemensagem online,ouvir telemensagens grátis,ouvir telemensagem grátis em
  Americana Artur Nogueira Campinas Cosmópolis Engenheiro Coelho Holambra Hortolândia Indaiatuba Itatiba Jaguariúna Monte Mor Nova Odessa Paulínia Pedreira Santa Bárbara d'Oeste Santo Antônio de Posse Sumaré Valinhos Vinhedo 




Campinas




Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação, pesquisa




 Nota: Se procura outros significados, veja Campinas (desambiguação).











































































































































































Município de Campinas


Campinas vista a partir do mirante da Torre do Castelo


"Cidade das andorinhas"
"Princesa d'Oeste"
























   
Brasão Bandeira

Hino
Aniversário 14 de julho
Fundação 14 de julho de 1774 (236 anos)
Gentílico campineiro
Lema Labore virtute civitas floret
"No trabalho e na virtude a cidade floresce"
Prefeito(a) Hélio de Oliveira Santos (PDT)
(2009-2012)
Localização
Localização de Campinas em São Paulo
Localização de Campinas no Brasil
22° 54' 21" S 47° 03' 39" O22° 54' 21" S 47° 03' 39" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Campinas IBGE/2008[1]
Microrregião Campinas
Região metropolitana Campinas
Municípios limítrofes (N) Paulínia, Jaguariúna e Pedreira; (L) Morungaba, Itatiba e Valinhos; (S) Itupeva, Indaiatuba e Monte Mor e (O) Hortolândia e Sumaré
Distância até a capital 98 km
Características geográficas
Área 795,697 km² [2]
População 1 080 999 hab. (SP: 3º) - 
Censo IBGE/2010[3]
Densidade 1 358,56 hab./km²
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC-3
Indicadores
IDH 0,852 (SP: 8°) - 
elevado PNUD/2000[4]
PIB R$ 29 363 064,180 mil (BR: 10º - RMC: 1º) - IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 27 788,98 IBGE/2008[5]



Campinas é uma metrópole brasileira, localizada no interior do estado de São Paulo, sede da Região Metropolitana de Campinas. Localiza-se a noroeste da capital do estado, distando desta apenas 87 quilômetros. Ocupa uma área de 795,697 km². Sua população, segundo o Censo 2010 é de 1.080.999 habitantes.[3]




Décima cidade mais rica do Brasil, o município representa, isoladamente, 0,96% de todo o Produto Interno Bruto (PIB) do país, além de ser responsável por pelo menos 15% de toda a produção científica nacional, sendo o terceiro maior pólo de pesquisa e desenvolvimento brasileiro.[6]




O município é formado pela cidade de Campinas e por quatro distritos: Joaquim Egídio, Sousas, Barão Geraldo e Nova Aparecida. É a terceira cidade mais populosa do estado de São Paulo, ficando atrás, somente de Guarulhos e da capital paulista. Sua região metropolitana é constituída por 19 municípios e conta com 2.798.477 habitantes[3] , o que a torna a nona mais populosa do Brasil.




Campinas faz parte do chamado Complexo Metropolitano Expandido que ultrapassa os 29 milhões de habitantes, aproximadamente 75% da população do estado inteiro. As regiões metropolitanas de Campinas e de São Paulo já formam a primeira macrometrópole do hemisfério sul, unindo 65 municípios que juntos abrigam mais de 12% da população brasileira.[7]


















Índice



[esconder]






































[editar] História




O primeiro nome de Campinas foi Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Campinas de Mato Grosso, devido à floresta densa e inexplorada que caracterizava a região. Era passagem obrigatória das Missões dos Bandeirantes que iam para as minas de ouro no interior.




Mapa da cidade de 1878.




Campinas esteve ligada a Jundiaí, no período de 1774 (Freguesia) a 1797 (desmembramento). Jundiaí é a "cidade mãe de Campinas".O povoamento teve início entre 1739 e 1744 com a vinda de Taubaté do Capitão Francisco Barreto Leme do Prado. Em 14 de julho de 1774, numa capela provisória, foi celebrada a primeira missa oficializando a fundação da Freguesia Nossa Senhora de Conceição de Campinas. Em 1797 é elevada à categoria de vila e altera o nome para Vila de São Carlos, e finalmente em 5 de fevereiro de 1842, já com 2.107 habitantes e cerca de quarenta casas, foi elevada à categoria de cidade com o nome de Campinas. Ficou conhecida como cidade-fênix, por seu renascimento após o surto de febre amarela que devastou mais de 30% da população no início do século XX.




A agricultura teve papel de destaque na história da cidade, que se aproveitou do fértil solo de terra roxa. A primeira cultura agrícola da cidade foi a cana-de-açúcar, logo suplantada pelas lavouras de café. Em pouco tempo, a economia cafeeira impulsionou um novo ciclo de desenvolvimento da cidade. Nesse período (segunda metade do século XVIII), a população de Campinas concentrava um grande contingente de trabalhadores escravos e livres, empregados em plantações e em atividades produtivas rurais e urbanas. Em 1872, graças ao plantio de café e a construção da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, Campinas passa a ser uma das maiores cidades do Brasil.




Com a crise da economia cafeeira, a partir da década de 1930, a economia de Campinas assumiu um perfil mais industrial e de serviços. A cidade então recebeu imigrantes provenientes de todo o mundo (destacando-se a imigração italiana), atraídos pela instalação de um novo parque produtivo.




Entre as décadas de 1970 e 1980, a cidade praticamente duplicou de tamanho, por conta de fluxos migratórios internos. Devido o seu grande progresso também ficou conhecida como a "Princesa d'Oeste", referência esta por estar a oeste da capital do estado.




Com a construção de grandes rodovias como a Rodovia Anhanguera (1948), a Rodovia dos Bandeirantes (1978), a Rodovia Santos Dumont (década de 1980), a Rodovia Dom Pedro I, Rodovia Governador Ademar de Barros, a Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença e a Rodovia Professor Zeferino Vaz (ou Tapetão), que é o principal acesso à REPLAN (Refinaria do Planalto Paulista), Campinas consolidou-se como importante entroncamento rodoviário.




Também se destacam um moderno parque industrial e tecnológico - fruto de um plano de instalação de "tecnopolos", e renomadas instituições de ensino superior, como a Universidade Estadual de Campinas e a Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Também é em Campinas que se localiza o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD).Campinas também é provida de uma unidade da Fundação Getúlio Vargas - FGV.




A partir de 1998, a cidade vem assistindo a uma mudança acentuada na sua base econômica: perde importância o setor industrial (com a migração de fábricas para cidades vizinhas ou outras regiões do país), e ganha destaque o setor de serviços (comércio, pesquisa, serviços de alta tecnologia e empresas na área de logística).




[editar] Geografia




No limite do horizonte, vê-se a Serra do Japi a partir do mirante da Torre do Castelo, Região Norte de Campinas.




Campinas localiza-se em uma área de transição entre o Planalto Atlântico Paulista (região leste) e a Depressão Periférica (região oeste), com relevo bastante ondulado e poucas áreas planas.[8] O lugar mais alto da cidade está próximo ao Observatório Municipal Jean Nicolini,[9] localizado na Serra das Cabras, no distrito de Joaquim Egídio, a uma altitude de 1033m.[10] Dentro do perímetro urbano, entretanto, a região mais alta está no Jardim São Gabriel, a 780m de altitude.[11] A menor altitude se verifica na região do Parque Itajaí, próximo ao Rio Capivari, a 555m.




A sua Região Metropolitana está cercada por Serras,a Serra da Mantiqueira, do Japi e a Serra das Cabras.




Campinas abriga a Área de Relevante Interesse Ecológico Santa Genebra, de 251 hectares, criada em 1985 e regulada pelo IBAMA, Prefeitura de Campinas e Fundação José Pedro de Oliveira. A cidade também apresenta grandes bosques, como o Bosque dos Jequitibás (instalado em 1881), Bosque dos Alemães e Bosque dos Guarantãs.




Campinas durante uma tempestade.




[editar] Clima




O clima de Campinas é tropical de altitude, com temperatura média anual de 22,3 °C,[12] total pluviométrico anual de 1.411 mm, predominância de chuvas entre novembro a março e com estiagens médias de 30 a 60 dias entre os meses de julho e agosto. Estiagens agrícolas podem chegar a 120 dias. É possível haver geadas, entretanto, as últimas geadas ocorridas na cidade foram em 17 e 18 de julho de 2000, quando se atingiu 1,6 °C e 2,2 °C, respectivamente.[13] Os dados da tabela a seguir representam as médias entre 1988 a 2003 pelo Cepagri da UNICAMP:[14]




 










































































































































































[Esconder]Médias de temperatura do ar e precipitação para Campinas
MêsJanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDezAno
Temperatura máxima registrada (°C) 36,2 35,6 35,0 34,1 32,0 31,0 32,0 34,4 37,6 37,4 36,8 36,0 37,6
Temperatura máxima média (°C) 29,7 30,0 29,9 28,5 25,5 24,8 24,8 27,2 27,8 29,1 29,3 29,6 28,0
Temperatura mínima média (°C) 19,8 19,9 19,6 17,6 14,5 12,9 12,3 13,8 15,8 17,6 18,3 19,1 16,8
Temperatura mínima registrada (°C) 14,0 14,2 15,0 7,0 4,0 0,0 2,0 5,0 5,6 9,4 10,9 11,6 0,0
Precipitação (mm) 280,3 215,9 162,3 58,6 63,3 35,4 43,3 22,9 59,5 123,5 155,6 203,9 1 424,5
Fonte: [15] 28 de Julho de 2010.



 




[editar] Demografia




Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição.




Segundo o Censo do IBGE, em 2010 o município de Campinas possui 1 080 999 habitantes, sendo o terceiro município mais populoso do estado e o maior do interior paulista[3], com uma densidade demográfica de 1.358,6 hab./km².[3]. Além disso, outros dados do Censo, destes 1 080 999, 521 209 (48,22%) são homens e 559 970 (51,78%) são mulheres; e também 1 062 453 (98,28%) moram na zona urbana e 18 546 (1,72%) moram na zona rural. Ainda segundo o instituto, em 2000 a taxa de fecundidade na cidade era de 1,78 filhos por mulher e a população da cidade era composta por: brancos (74,0%), pardos (18,4%), pretos (5,6%), amarelos (0,9%) e indígenas (0,2%).




[editar] Religião




Igreja Católica Romana



A cidade é sede da Arquidiocese de Campinas, erigida em 7 de junho de 1908. A arquidiocese é responsável territorialmente pelas paróquias dos municípios de Elias Fausto, Hortolândia, Indaiatuba, Monte Mor, Paulínia, Sumaré, Valinhos e Vinhedo, e também pelas dioceses sufragâneas de Amparo, Bragança Paulista, Limeira, Piracicaba e São Carlos. Desde 2004, Dom Bruno Gamberini é o Arcebispo Metropolitano de Campinas.




Em 2008 a Arquidiocese comemorou seu centenário de criação.




[editar] Política




Palácio dos Jequitibás, prefeitura de Campinas.




Ver página anexa: Prefeitos de Campinas



Atualmente o prefeito da cidade é Hélio de Oliveira Santos (reeleito no 1º turno nas eleições de 2008)(PDT). O presidente da câmara municipal é o vereador Aurélio José Cláudio (PDT).




[editar] Cidades-irmãs




O projeto das cidades-irmãs visa facilitar o acesso a informações, troca de experiências e construção de projetos de cooperação internacional nas mais diferentes áreas, como educação e saúde. Campinas possui oficialmente as seguintes cidades-irmãs:[16]





































































[editar] Subdivisões




O município de Campinas possui além das subprefeituras dos seus 4 distritos, 14 administrações regionais, todas listadas a seguir, com os principais bairros da região a qual atende:







    • Leste




        • Administração Regional 1 - Região Central







        • Administração Regional 2 - Regiões da Nova Campinas a Vila Brandina







        • Administração Regional 3 - Região do Taquaral







        • Administração Regional 14 - Região do Jd. Carlos Gomes





















    • Noroeste




        • Administração Regional 5 - Regiões do Jd. Garcia e Vl. Teixeira















    • Sul







        • Administração Regional 8 - Região do Nova Europa







        • Administração Regional 9 - Regiões do Swift, Ponte Preta e Jd. São Gabriel







        • Administração Regional 10 - Região do Proença












    • Sudoeste




        • Administração Regional 7 - Região do Campos Elíseos







        • Administração Regional 12 - Região do Ouro Verde











[editar] Economia




Campinas é a cidade mais rica da Região Metropolitana de Campinas e a 10ª cidade mais rica do Brasil, exibindo um produto interno bruto (PIB) de 27,1 bilhões de reais (2007),[5] que representa 0,96% de todo o PIB brasileiro.[17] Atualmente a cidade concentra cerca de um terço da produção industrial do estado de São Paulo [carece de fontes?]. Destacam-se as indústrias de alta tecnologia e o parque metalúrgico, sendo considerado a capital do Vale do Silício Brasileiro.




Modernos edifícios na Avenida José de Sousa Campos.




A região abriga mais de 10.000 empresas de médio e grande porte, muitas das quais entre as 1.000 maiores e melhores do Brasil, segundo a revista Exame, tais como Honda, Toyota, Unilever, Mann, 3M do Brasil, Sherwilliams, Bosch, Pirelli, Dell, IBM, Amyris Biotech, BASF, Dow Química, Villares, SEMESA, Ericsson, Singer, Goodyear, CPFL, Elektro, DPaschoal. Sotreq. Valeo, Rigesa, International Paper, Nortel, Lucent, Samsung, Motorola, Medley, Cristália, Romi, Tenneco, General Electric, Texas Instruments, Mabe, EMS Farma, MSD Farma, Altana, Solectron, Magnetti Marelli, Amsted Maxion, Eaton, Galvani, Selmi, Nutron, AmBev, Caterpillar, Bombardier, Atento Brasil, ACS, Dedic, CAF e muitas outras. O pólo petroquímico é centrado em Paulínia, a poucos quilômetros de Campinas, junto à Refinaria do Planalto Paulista da Petrobrás (Replan), a maior do Brasil uma das maiores da América Latina, e tem empresas como Dupont, Chevron, Shell, Exxon, Grupo Ipiranga, Eucatex, Rhodia, e outras. Tem o maior aeroporto de carga de importação/exportação, e que é o hub das empresas Azul e Trip. As maiores empresas tem um faturamento global de mais de 80 bilhões de dólares, maior do que muitos países latino-americanos




A cidade é também um importante e diversificado centro comercial, possuindo dois dos maiores shopping center do país: O Shopping Iguatemi de Campinas e Shopping Parque Dom Pedro. Possui, em sua área metropolitana, o Aeroporto Internacional de Viracopos, que se destaca no transporte internacional de cargas.




[editar] Infra-estrutura




[editar] Educação




Entrada do campus da Unicamp no distrito de Barão Geraldo.




Universidades e faculdades



Cursos presenciais:







    • ESAMC (Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação - Campinas)







    • ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing - Campinas)







    • FAC (Faculdade Anhanguera de Campinas)







    • FACAMP (Faculdades de Campinas)







    • FGV (Fundação Getulio Vargas - Campinas)







    • IESCAMP (Instituto de Educação e Escola Superior de Campinas)







    • INPG (Instituto Nacional de Pós-Graduação)







    • IPEP/FIPEP (Instituto Paulista de Estudo e Pesquisa)







    • POLICAMP (Faculdade Politécnica de Campinas)







    • PUCC (Pontifícia Universidade Católica de Campinas)







    • SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - Campinas)







    • SEF (Faculdades Fleming)







    • SLMANDIC (Faculdade de Odontologia e Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic)







    • UNIP (Universidade Paulista - Campinas)







    • UNISAL (Centro Universitário Salesiano de São Paulo)







    • UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas)







    • USF (Universidade São Francisco - Campinas)







    • MACKENZIE (Universidade Presbiteriana Mackenzie - Campinas)









Cursos metodologia de Educação à Distância (EAD):







    • CEUCLAR (Centro Universitário Claretiano)







    • CEUMAR (Centro Universitário de Maringá)







    • Faculdade AIEC/FAAB







    • EETAD (Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus)







    • FAETAD (Faculdade de Educação Teológica das Assembléias de Deus)







    • UMESP (Universidade Metodista de São Paulo)







    • UNOPAR (Universidade Norte do Paraná)







    • FTC Salvador (Faculdade de Tecnologia e Ciências)







    • FATEC International







    • Faculdade Educacional da Lapa







    • FACINTER (Faculdade Internacional de Curitiba)







    • FNB (Faculdade Nazarena do Brasil)







    • Instituto de Ensino Superior COC







    • Universidade Anhanguera-Uniderp)







    • UNIFACS (Universidade Salvador)






Escolas técnicas






    • ETE Bento Quirino (Escola Técnica Estadual Bento Quirino)







    • CEPROCAMP (Centro de Educação Profissional de Campinas "Prefeito Antonio da Costa Santos")







    • COTUCA (Colégio Técnico de Campinas - Unicamp)







    • ETECAP (Escola Técnica Estadual Conselheiro Antônio Prado)







    • ETEC Escola Técnica de Campinas (Escola Salesiana São José)












Escola Preparatória de Cadetes do Exército



Desde 1959, a cidade de Campinas é a sede da única escola de formação de Cadetes do Exército Brasileiro, a Escola Preparatória de Cadetes do Exército. Oferecendo o 3º ano do Ensino Médio integrado à formação militar, a EsPCEx prepara os futuros cadetes da AMAN, que após 4 anos de estudos naquela Academia se graduam com o posto de Aspirante a Oficial.




[editar] Ciência e tecnologia




Fotografia panorâmica do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, no Distrito de Barão Geraldo.




Campinas é conhecida nacionalmente como um importante centro de produção e difusão de conhecimento tecnológico de ponta, (juntamente, no estado de São Paulo, com São José dos Campos e São Carlos). Sua região metropolitana abrange parte de uma área que é considerada o "Vale do Silício" brasileiro e um cinturão tecnológico do estado. Isso fez da cidade uma alternativa para investimentos no país.




Embora a história que ligue Campinas à tecnologia remonte a mais de cem anos (Campinas foi a terceira cidade do mundo a adotar a tecnologia do telefone, em 1883, após Chicago e Rio de Janeiro quando foram instalados 57 aparelhos,[18] o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) foi fundado por Dom Pedro II, em 1887), a cidade ganhou um grande impulso com a estruturação do campus da Unicamp, iniciada em 1962. Foi depois da construção do campus que se instalaram em Campinas instituições como o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI - antigo CenPRA) e, recentemente, o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron.




O município é o terceiro maior polo de pesquisa e desenvolvimento do Brasil, responsável por pelo menos 15% da produção científica nacional - segundo dados de 2010.[6] A seguir, algumas das principais instituições de ensino, pesquisa e sociedades científicas da cidade.







    • Instituições de pesquisa






Instituto Agronômico de Campinas.












[editar] Transportes




Torre de Controle do Aeroporto Internacional de Viracopos.




O Aeroporto Internacional de Viracopos (IATA: VCP - ICAO: SBKP), localizado no extremo sul do município, é o segundo maior terminal aéreo de cargas do país,[19] abarcando 18,1% do fluxo total de mercadorias nos aeroportos.[19] Atualmente, de cada três toneladas de mercadorias exportadas e importadas no Brasil, uma passa por Viracopos.[19] Constitui uma alternativa aeroviária para a região da Grande São Paulo. Na região norte, localiza-se o Aeroporto Campo dos Amarais (ICAO: SDAM), destinado aos aviões de pequeno e médio porte, assim como o ensino de pilotagem, localizado a cerca de 8 km do centro da cidade.




Em 2010, foi implantado o Corredor Central, um corredor viário que privilegia o transporte coletivo nas avenidas centrais e que modificou o Rótula, sistema implantado em 1996 que colocou as duas pistas das avenidas Anchieta, Orozimbo Maia, Senador Saraiva, Morais Sales e Irmã Serafina com o tráfego no mesmo sentido com a introdução de faixas exclusivas e de faixas preferenciais para os coletivos, acessibilidade nos pontos, sinalização semafórica moderna, etc.




Em função de seu relevo acidentado, Campinas não é uma cidade com condições ideais para a prática do ciclismo. Até o ano de 2006, Campinas não possuía nenhuma ciclovia, somente uma ciclofaixa com aproximadamente 5 km em volta da Lagoa do Taquaral, instalada no início da década de 1990 e ampliada com a conclusão da Praça Arautos da Paz. Em 2006 foram instaladas ciclovias no canteiro central da Avenida Atílio Martini, no distrito de Barão Geraldo, com aproximadamente 1,5 km de extensão e outra ciclovia nos dois sentidos da Estrada dos Amarais.




Desde sua origem como nós urbanos de tropeiros oriundos de Jundiaí e São Paulo rumo a Minas Gerais e Goiás, Campinas é, sem dúvida, um dos maiores entroncamentos de transportes no Brasil inteiro. A cidade é servida por dois aeroportos, ferrovias e nove rodovias, a grande maioria de pista dupla. Sua localização é estratégica, próxima à Grande São Paulo e ao Porto de Santos e com acesso às capitais dos outros estados.




[editar] Ferroviário




Antiga Estação Ferroviária de Campinas, atual Centro Cultural de Campinas.




Campinas foi um dos maiores entroncamentos ferroviários do estado de São Paulo. Os trilhos da Companhia Paulista chegaram à cidade em 1872. Dali partiam trilhos para o Sul de Minas Gerais (pela Mogiana), para o Interior do Estado e Mato Grosso do Sul (pela Paulista e pela Sorocabana) e duas pequenas linhas extintas: uma para Paulínia (a Funilense) e a outra, para Sousas. Atualmente, as linhas administradas pela Brasil Ferrovias estão reduzidas a poucas viagens diárias de trens cargueiros, com locomotivas movidas a diesel a uma baixíssima velocidade (menos de 30 km/h) e muitos dos antigos leitos de trilhos estão abandonados, invadidos por sem-teto ou servindo de esconderijo para criminosos.




Entre 1991 e 1995 operou em Campinas um transporte de média capacidade sobre trilhos, conhecido por Veículo Leve sobre Trilhos, ou simplesmente VLT. Todavia, devido à diversos erros cometidos em sua implantação, como a ausência de integração com os ônibus e uma estação central em posição desvantajosa, a operação comercial foi deficitária, e o serviço descontinuado.




A médio prazo é imprescindível que o projeto do VLT seja retomado e ampliado pelos governos, pois uma boa malha de transporte sobre trilhos resolveria parte dos problemas que Campinas enfrenta com a poluição e congestionamentos oriundos de uma frota crescente. Entretanto, a estrutura física do VLT foi retirada, desmanchada ou vandalizada e até 2008 continua sem uso. Há projetos para a utilização do leito para corredores de ônibus; contudo, nada foi apresentado até março de 2009, quando o prefeito Hélio de Oliveira Santos apresentou um projeto de VLP[20] que utilizará parcialmente o leito abandonado do VLT. A implantação do projeto está indefinida em função da necessidade de aprovação dos recursos.




[editar] Rodoviário




Novo terminal rodoviário de Campinas. Complexo Viário Túnel Joá Penteado.




O Terminal Multimodal Ramos de Azevedo é a principal estação de transporte intermunicipal e interestadual da cidade de Campinas. Foi construído para substituir o antigo terminal rodoviário da cidade - a Estação Rodoviária Dr. Barbosa de Barros - em função da degradação, da falta de espaço e de condições para a operação das linhas, principalmente em horários de pico e vésperas de feriados.




A cidade conta com aproximadamente duzentas linhas de ônibus urbano (gerenciadas pela EMDEC) e cem linhas de ônibus metropolitanos e intermunicipais (gerenciadas pela EMTU-SP). O sistema municipal de transporte coletivo - Intercamp - pretende reduzir a competição entre os concessionários (também denominados perueiros) e as empresas de ônibus (duas empresas - VB e Onicamp - e dois consórcios - Concicamp e Urbcamp). Existem 5 terminais abertos (Itajaí, Shopping Iguatemi, Shopping Dom Pedro, Central, e Mercado) e 6 terminais fechados (Barão Geraldo, Nova Aparecida, Campo Grande, Vila União, Ouro Verde e Vida Nova), além de algumas estações de transferência implantadas (Cidade Judiciária, Abolição, PUC) e em outras que estão em implantação, sem data definida.




[editar] Rodovias




A cidade é um dos maiores entroncamentos rodoviários do país, nela passando diversas rodovias. Algumas das mais importantes para a cidade são:




Anel viário de Campinas em sua totalidade




██ Trecho leste (SP-83)




██ Trecho sul (em projeto)




██ Trecho oeste (SP-348, SP-102/330, SP-330)




██ Trecho norte (SP-65)




Rodovia dos Bandeirantes, na altura do trecho de Campinas. Rodovia Dom Pedro I.










    • Rodovia dos Bandeirantes (SP-348): passa na Região Sul da cidade, vinda de São Paulo), no sentido sudeste-noroeste. A rodovia ganhou novo traçado e os últimos quilômetros de seu antigo percurso - que cruzam a Região Oeste e receberam o nome de Rodovia Adalberto Panzan - hoje servem de ligação entre esta rodovia e a Rodovia Anhanguera.



















    • Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332): segue na direção noroeste rumo a Paulínia e a Cosmópolis, servindo como ligação de Campinas ao distrito de Barão Geraldo, à UNICAMP, e à REPLAN. Em função do trânsito intenso de veículos, do grande número de acidentes e da má qualidade do asfalto, o trecho entre Campinas e Barão Geraldo ficou conhecido depreciativamente como Tapetão. Recentemente a pista passou por um processo de recapeamento e teve sua velocidade máxima reduzida de 100 km/h para 80 km/h, a fim de reduzir os acidentes.


















[editar] Cultura




Teatro Municipal Castro Mendes.




A cidade sempre teve uma posição destacada no Estado de São Paulo, com grande produção e recursos culturais. Conta com três teatros municipais, com a Orquestra sinfônica da cidade (fundada em 1974, durante as festividades do bicentenário da cidade e considerada uma das três melhores do país, ao lado da OSESP e OSB), vários grupos de música erudita, corais, 43 salas de cinema, dezenas de bibliotecas (uma delas municipal), galerias de arte, museus, editoras de destaque nacional (Komedi, Papirus, Verus, Autores Associados, Unicamp), etc. A vida cultural é variada e intensa, especialmente na música popular.




Nas últimas décadas do século XIX, antes de Campinas ser devastada pela febre amarela, seu povo nutria uma rivalidade com São Paulo e aspirava a um estilo de vida europeu. Não era difícil ouvir expressões como "Campinas über alles". Um escritor local, Eustáquio Gomes, explorou essa situação em seu romance "A Febre Amorosa".




















  A cidade posava de capital agrícola da província e dizem que a febre veio por pura mandinga paulistana. Nossos concidadãos eram tão altivos e orgulhosos que na rua se comportavam como desconhecidos só para se darem a impressão de habitar uma cidade grande. No estrangeiro, quando interrogados, respondiam em primeiro lugar que eram campineiros, só depois condescendendo em declarar que eram paulistas, e a muito custo admitindo que eram brasileiros. Com a praga republicana, que aqui vicejou como capim, alguém chegou a lançar a ideia de uma República dos Estados Unidos de Campinas.  



É a terra natal de Antônio Carlos Gomes, famoso compositor de óperas na Itália do século XIX, com obras como O Guarani, Fosca e O Escravo. Santos Dumont também morou um tempo em Campinas e estudou no Colégio Culto à Ciência. Também nasceram em Campinas o escritor Guilherme de Almeida e o quarto presidente da República, Campos Sales.




[editar] Esportes




Fachada do Estádio Moisés Lucarelli. Estádio Brinco de Ouro da Princesa (canto inferior direito).




Futebol



Na cidade de Campinas, encontram-se três equipes de futebol: Ponte Preta, Guarani, e o Red Bull Brasil. As duas primeiras equipes citadas realizam o "Dérbi Campineiro", partida que é considerada uma das mais tradicionais do Interior do estado.




Os principais estádios existentes na cidade são:










    • Cerecamp, pertencente ao governo do estado de São Paulo.









Jogos Abertos



Campinas possui tradição também nos Jogos Abertos do Interior. Por quatro vezes, a cidade foi sede da competição (1939, 1945, 1960 e 1994), e por dez vezes, a cidade saiu-se como a campeã da competição (1939, 1955, 1956, 1958, 1960, 1971, 1974, 1975, 1978 e 1979), sendo a quarta cidade que mais vezes ganhou a competição.




[editar] Eventos e datas comemorativas




Feriados municipais






    • Data variável: Sexta Feira da Paixão de Cristo. Lei Municipal 3.902.[21]







    • Data variável: Corpus Christi. Lei Municipal 3.902













    • 8 de dezembro: Dia da Padroeira de Campinas - Nossa Senhora da Conceição. Lei Municipal 3.902.






Panorama da cidade de Campinas.




Referências






    1. Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.





    1. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.





    1. a b c d e Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.





    1. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.





    1. a b c Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.





    1. a b Portal Unicamp - Research Acesso em 21 de maio de 2010





    1. "A primeira macrometrópole do hemisfério sul", Jornal Estadão. Página visitada em 12 de outubro de 2008.





    1. CIATEC Campinas, sobre relevo, Acessado em 9 de abril de 2007





    1. Página oficial de Campinas: Observatório Municipal de Campinas (em português).





    1. SEPLAN - Prefeitura Municipal de Campinas. Marco geodésico PMC-10A. Página visitada em 31/08/2010.





    1. SEPLAN - Prefeitura Municipal de Campinas. Marco geodésico PMC-2019. Página visitada em 31/08/2010.





    1. Clima de Campinas - Cepagri Acessado em 25 de março de 2009





    1. Geadas - Cepagri Acesso em 25 de março de 2009





    1. Cepagri Clima de Campinas, Acessado em 9 de abril de 2007





    1. Informação Meteorológica de Campinas.





    1. Cidades Irmãs - Prefeitura de Campinas Acessado em 2 de abril de 2009





    1. Título não preenchido, favor adicionar.





    1. Título não preenchido, favor adicionar.





    1. a b c Infraero - Movimento nos Aeroportos





    1. Campinas prepara o seu fura-fila Acessado em 2 de abril de 2009.





    1. De acordo com a Lei Municipal 3.902, de 25 de Setembro de 1972





    1. Lei Municipal 11.128 de 14 de Janeiro de 2002.





[editar] Ver também




O Wikimedia Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Campinas


















  A Wikipédia possui o
Portal de São Paulo












































[editar] Ligações externas





















 


 


Pedir Telemensagens - Toque o coração de quem você ama
Pedir Telemensagens - Toque o coração de quem você ama